whatsapp-image-2016-11-29-at-15-13-08

07/12: DIA NACIONAL DE LUTA CONTRA A REESTRUTURAÇÃO DO BANCO DO BRASIL!

Por Assessoria do Mandato da Juliana Donato – CAREF – Banco do Brasil

 

Na próxima quarta feira, dia 07 de dezembro, vamos ter mais um Dia Nacional de Luta contra a reestruturação do Banco do Brasil. Os funcionários já mostraram a sua disposição de luta, como no dia 29 de novembro, quando os colegas da área meio de São Paulo pararam o dia todo.

No entanto, nós precisamos ir além dessas iniciativas. Os dias nacionais de luta são importantes, mas precisam estar articulados com uma política de organização da categoria para derrotar a reestruturação do BB.

Está claro que, sem uma greve construída em conjunto com a base, o BB não vai negociar nem as migalhas que a CONTRAF/CUT está pedindo. Para isso, precisamos, primeiro, realizar reuniões dos delegados sindicais em todo o país. Depois, uma rodada nacional de assembleias, que aprove um plano de mobilização para construir a greve contra a reestruturação.

Importantes sindicatos, como o de São Paulo, não tiveram até agora nenhuma plenária ou reunião de delegados sindicais para debater a luta contra a reestruturação. Até hoje, só o sindicato de Pernambuco foi o único da base da CONTRAF/CUT que fez assembleia da categoria. Em Brasília, chegamos ao absurdo de uma diretora acabar com o grupo de WhatsApp porque o sindicato perdeu o controle do grupo.

Nós achamos fundamental toda a luta contra a reestruturação e vamos participar ativamente do Dia Nacional de Luta em 07/12. Porém, acreditamos que, quando o sindicato se negar a organizar a base, nós temos que tomar a iniciativa.

Nesse sentido, achamos importante a política da Oposição Bancária de São Paulo de organizar pela base a convocação da assembleia, na forma prevista pelo estatuto do sindicato.

Além da realização da rodada nacional de assembleias, percisamos de um encontro nacional dos funcionários do BB, que unifique a luta nacionalmente, chamando a unificação com o conjunto dos trabalhadores que estão também sofrendo ataques, como é o caso dos petroleiros, trabalhadores dos correios, trabalhadores da Eletrobrás e os próprios bancários da CEF, BNB, BASA.

Por fim, é muito importante, também, vincular essa luta com as mobilizações contra a PEC 55 e a proposta de Reforma da Previdência do governo Temer. Ontem, o STF afastou o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Isso mostra a instabilidade que vivemos no país e deve funcionar como incentivo para reforçar o dia 13 de dezembro, que vai ser um dia de nacional de mobilização, para exigir que Jorge Viana (PT-AC) suspenda a votação da PEC 55. Vamos com toda a força em defesa de nossos direitos!

#NãoSomosNúmeros