whatsapp-image-2016-12-13-at-19-52-03

NÃO FAZ MAIS SENTIDO A MANUTENÇÃO DAS AGÊNCIAS TRADICIONAIS?

Por Assessoria do Mandato da Juliana Donato – CAREF – Banco do Brasil

 

O vice-presidente do Banco do Brasil (BB) de negócios de varejo, Raul Moreira, deu uma entrevista à Revista Época, afirmando que não faz mais sentido o formato de agências tradicionais.

Segundo ele, o avanço tecnológico levaria o conjunto da população brasileira a utilizar o atendimento remoto, digital. Essa visão ignora a realidade brasileira e abandona qualquer atuação de banco público.

Duas reportagens que publicamos em nossa página demonstram bem isso. Uma sobre a cidade de Limoeiro, em Pernambuco, onde houve fechamento de várias agências em consequência de assaltos à fila. Hoje, existe muita superlotação e as filas para o atendimento estão passando de 200 senhas todos os dias.

Outro exemplo foi no interior do Paraná, em Janiópolis, onde pequenos agricultores pararam a cidade porque a agência do BB vai ser transformada em Posto de Atendimento.

Mas os exemplos não param por aí! Agora, para aprovação do financiamento do FIES, as agências da Caixa Econômica Federal (CEF) e do BB viraram um caos, como mostra a foto de capa do artigo, feita em uma agência da CEF em Belo Horizonte.

O BB e a CEF, quando atuam enquanto bancos públicos, têm muita demanda. O problema é, no caso do BB, que a atual gestão aprofunda uma atuação como banco privado.

Os maiores sindicatos da categoria têm a obrigação de fazer uma campanha de mídia nos grandes órgãos de imprensa, divulgando como a população será afetada pela reestruturação do Banco do Brasil.