Perfil

Juliana é funcionária do BB desde 2008, tomou posse posse na Agência Vila Funchal. Atualmente trabalha na GECEX SP II, localizada no Complexo São João. Antes disso, trabalhou no Banco Nossa Caixa. É formada em Psicologia pela UFPR. Participou ativamente do movimento estudantil e foi Coordenadora Geral do DCE-UFPR. Sua história como bancária é marcada pela defesa dos direitos do funcionalismo e do Banco do Brasil como instituição pública comprometida com os interesses dos trabalhadores.

Juliana é delegada sindical  e vice-presidente da CIPA do Complexo São João, a maior concentração de funcionários do BB no Estado de São Paulo. Na última eleição do Sindicato de Bancários de São Paulo, foi candidata a presidente  pela chapa de oposição.
Pelo papel que cumpre na organização dos funcionários, é perseguida pelo Banco do Brasil. Respondeu a medidas disciplinares e, como resultado, foi suspensa do banco por 10 dias. O banco tentou impedir sua candidatura ao Conselho de Administração, mas garantiu por via judicial o direito de concorrer. No segundo turno foi eleita, concorrendo contra o candidato apoiado pela maioria dos sindicatos da CONTRAF/CUT. Teve mais  de 27.000 votos.

O banco já entrou, ao total, com sete medidas judiciais, tanto para impedir sua posse, como para tentar cassar seu mandato, mas foi derrotado em todas. Além disso, não permite a Juliana nenhum canal de comunicação direto com os funcionários, inclusive bloqueou o acesso dos computadores do banco ao seu site e  se recusa a reconhecer o mandato como delegada sindical. Em suma, o BB continua tendo atitudes anti-sindicais e mostra completo desrespeito à vontade da maioria dos trabalhadores.

No conselho, Juliana tem marcado sua atuação na defesa intransigente dos direitos dos trabalhadores e cobrado do BB que cumpra um papel de banco público, servindo ao interesse da maioria da sociedade.